segunda-feira, 11 de maio de 2009

UMA BUSCA COLETIVA PARA A SUSTENTABILIDADE DA VIDA NA TERRA

A Sustentabilidade ambiental da Terra está ligada diretamente a uma atitude de mudança de comportamento do ser humano no que diz respeito ao trato com a natureza. Nesse sentido, a dinâmica de exploração dos recursos naturais por parte das sociedades humanas, requer cuidados no qual prevaleça à manutenção das espécies vivas da natureza. Por conseqüência disso, produziria pouco impacto relacionado aos mecanismos de simbiose ou autopoiese tanto de ordem natural e social.
Nesse caso, havendo a falta dessa harmonia de comportamento, ou seja, um elo desprotegido tornará o ambiente no qual vivemos muito complexo, repleto de mudanças que causará futuramente a perda de nossa capacidade de vida humana na Terra.
Atualmente, convivemos num sistema agressivo de desenvolvimento, visando somente o capital e esquecendo da renovação dos recursos naturais explorados. E se esses recursos se esgotam como viveremos em nosso planeta? Então a interação governo e cidadão devem andar juntos no sentido de excluir o modelo de desenvolvimento vigente criado exclusivamente para destruir a natureza e se pensar numa alternativa de desenvolvimento que favoreça as condições mínimas de sustentabilidade, construindo mudanças em prol da capacidade de se explorar os recursos naturais existentes de maneira inteligente na qual a sociedade humana possa usufruir sem destruições ou desequilíbrios.
Portanto, a permanência das espécies vivas depende de um governo sensato que possa ter uma visão futura das condições de vida das próximas gerações e de uma iniciativa dos cidadãos em virtude de serem mais voluntários, zelando o patrimônio natural da Terra. Entendo que se praticando uma cultura de sustentabilidade ambiental responsável a natureza irá retribuir com menos tragédias e calamidades de ordem natural, social e econômica podendo assim estabelecer uma relação de extremo equilíbrio sobre os seres vivos.

segunda-feira, 23 de fevereiro de 2009

RESULTADO DA ENQUETE VISA PRIORIDADE POR UMA USINA DE RECICLAGEM EM ESPERANTINA


Os internautas votaram na enquete na qual foi questionado qual a principal prioridade do governo municipal em favor da preservação do meio ambiente de Esperantina.E na opinião dos internautas a construção de uma usina de reciclagem é de impar importancia para a cidade , pois além de separar o lixo da cidade tornando mais limpa seria uma forma também de geração de renda para algumas famílias que dependem do lixo para a sobrevivência. Outras sugestões que foram elencadas na enquete são necessárias também como: campanhas de conscientização para estudantes, proteção da mata ciliar do nosso Rio Longá, entregar aos turistas panfletos educativos sobre a preservação da Cachoeira do Urubu e de extrema urgencia ao meu ver a retirada de famílias que vivem próximas das margens do Longá evitando assim tragédias incalculáveis. Então aguardamos as autoridades do nosso municipio por essas e outras atitudes políticas ou boa vontade política para resolver e apaziguar esses problemas ambientais.

sábado, 14 de fevereiro de 2009

terça-feira, 3 de fevereiro de 2009

MANDAMENTOS ECOLÓGICOS

1 - Não gastar água inultimente .

2 - Diminuir a produção de lixo e não jogá-lo na natureza.

3 - Separar o lixo orgânico da sucata,pois os dois podem ser reciclados.

4 - Não desperdiçar energia.

5 - Não utilizar materias poluentes.

6 - Utilizar o carro somente quando necessário.

7 - Não destruir a fauna e a flora.

8 - Procurar manter-se informado sobre a causa ecológica.

9 - Participar de associações de defesa do meio ambiente.

10 - Lembrar sempre que o planeta TERRA é um belo lugar para morar e deve continuar sendo assim.

agora é só cumprir na prática!!

sábado, 31 de janeiro de 2009

Fortes chuvas voltam a castigar a cidade de Esperantina

Neste sábado, 31 , nossa cidade sofreu fortes pancadas de chuva no fim da tarde acompanhadas de descargas elétricas. Essa foi considerada a chuva de maior intensidade do ano, apavorizando famílias que residem próximas ao Rio Longá, já que no ano de 2008 essas mesmas famílias sofreram perdas incalculáveis em razão da maior enchente já registrada em Esperantina.
Contudo, caso essa problemática prevaleça nos próximos periodos chuvosos o poder público deve agir no sentido de garantir para essas famílias um apoio não somente no fornecimento de cestas básicas e sim priorizar a retirada das mesmas nas áreas consideradas de risco, dando-as conjuntos habitacionais mais seguros para residirem. Nesse sentido que garantias o poder público terá caso aconteça outra enchente maior no futuro? Então melhor prevenir do que remediar!

sexta-feira, 30 de janeiro de 2009

Fontes de energias renováveis


São conhecidas pela imensa quantidade de energia que possuem, e porque são capazes de se regenerar por meios naturais. São exemplos de energias renováveis :O Sol: energia solar,O vento:energia eólica , Os rios e correntes de água doce: energia hidráulica,Os mares e oceanos: energia maremotriz, As ondas: energia das ondas, A matéria orgânica: biomassa, O calor da Terra: energia geotérmica, Água salobra: energia azul.
As energias renováveis são consideradas como energias alternativas ao modelo energético tradicional, tanto pela sua disponibilidade (presente e futura) garantida (diferente dos combustíveis fósseis que precisam de milhares de anos para a sua formação) como pelo seu menor impacto ambiental. Vários países veem as energias renováveis como forma mais viável de conter o aquecimento global.É o caso do Brasil, que produz o etanol ou álcool etílico muito utilizado nos veículos brasileiros.

terça-feira, 27 de janeiro de 2009

Forum Social Mundial em Belém debate a preservação da Amazônia


A abertura do forum Social Mundial nesta terça-feira(27) que acontece na capital Belém (PA), vão ser discutidos por milhares de pessoas de diversas partes do mundo , por seis dias, assuntos relacionados a questão da Amazônia e os efeitos do desmatamento no equilíbrio ambiental, no qual serão levantados propostas de combate ao desmatamento e meios sustentáveis de desenvolvimento econômico e social com o objetivo de oferecer uma melhor qualidade de vida para a população local e mundial. Vários ativistas ambientais, chefes de Estado, ONGs e pessoas comuns querem ver um mundo mais sustentável e graças a essas discursões só reforçam essa idéia. Agora é aguardar que as nossas autoridades sejam mais eficientes contra esses crimes ambientais que assolam não somente a Amazônia mas todo o mundo.

sexta-feira, 23 de janeiro de 2009

Carta sensacionalista ou uma realidade futura?

Carta escrita em 2070
"Estamos no ano de 2070, acabo de completar os 50, mas a minha aparência é de alguém de 85.
Tenho sérios problemas renais porque bebo muito pouca água. Creio que me resta pouco tempo.
Hoje sou uma das pessoas mais idosas nesta sociedade.
Recordo quando tinha 5 anos. Tudo era muito diferente.
Havia muitas árvores nos parques, as casas tinham bonitos jardins e eu podia desfrutar de um banho de chuveiro com cerca de uma hora.
Agora usamos toalhas em azeite mineral para limpar a pele.
Antes todas as mulheres mostravam a sua formosa cabeleira.
Agora devemos raspar a cabeça para a manter limpa sem água.
Antes o meu pai lavava o carro com a água que saía de uma mangueira.
Hoje os meninos não acreditam que a água se utilizava dessa forma.
Recordo que havia muitos anúncios que diziam CUIDAR DA ÀGUA, só que ninguém lhes ligava; pensávamos que a água jamais se podia terminar.
Agora, todos os rios, barragens, lagoas e mantos aqüíferos estão
irreversivelmente contaminados ou esgotados.
Antes a quantidade de água indicada como ideal para beber era oito copos por dia por pessoa adulta.
Hoje só posso beber meio copo. A roupa é descartável, o que aumenta grandemente a quantidade de lixo; tivemos que voltar a usar os poços sépticos(fossas)como no século passado porque as redes de esgotos não se usam por falta de água.
A aparência da população é horrorosa; corpos desfalecidos, enrugados pela desidratação, cheios de chagas na pele pelos raios ultravioletas que já não têm a capa de ozônio que os filtrava na atmosfera.
Imensos desertos constituem a paisagem que nos rodeia por todos os lados.
As infecções gastrintestinais, enfermidades da pele e das vias urinárias são as principais causas de morte.
A industria está paralisada e o desemprego é dramático.
As fábricas dessalinizadoras são a principal fonte de emprego e pagam-te com água potável em vez de salário.
Os assaltos por um botijão de água são comuns nas ruas desertas.
A comida é 80% sintética. Pela ressiquidade da pele uma jovem de 20 anos está como se tivesse 40.
Os cientistas investigam, mas não há solução possível.
Não se pode fabricar água,o oxigênio também está degradado por falta de arvores o que diminuiu o coeficiente intelectual das novas gerações.
Alterou-se a morfologia dos espermatozóides de muitos indivíduos, como conseqüência há muitos meninos com insuficiências, mutações e deformações.
O governo até nos cobra pelo ar que respiramos.137 m3 por dia por
habitante
adulto.
A gente que não pode pagar é retirada das "zonas ventiladas", que estão dotadas de gigantescos pulmões mecânicos que funcionam com energia solar,não são de boa qualidade mas pode-se respirar, a idade média é de 35 anos.
Em alguns países ficaram manchas de vegetação com o seu respectivo rio que é fortemente vigiado pelo exercito,a água tornou-se um tesouro muito cobiçado mais do que o ouro ou os diamantes.
Aqui em troca,não há arvores porque quase nunca chove, e quando chega a registrar-se precipitação,é de chuva ácida; as estações do ano tem sido severamente transformadas pelas provas atômicas e da industria contaminante do século XX.
Advertia-se que havia que cuidar o meio ambiente e ninguém fez caso.
Quando a minha filha me pede que lhe fale de quando era jovem descrevo o bonito que eram os bosques, lhe falo da chuva, das flores, do agradável que era tomar banho e poder pescar nos rios e barragens, beber toda a água que quisesse, o saudável que era a gente.
Ela pergunta-me: Papai! Porque se acabou a água?
Então, sinto um nó na garganta; não posso deixar de sentir-me culpado, porque pertenço à geração que terminou destruindo o meio ambiente ou simplesmente não tomamos em conta tantos avisos.
Agora os nossos filhos pagam um preço alto e sinceramente creio que a vida na terra já não será possível dentro de muito pouco tempo porque a destruição do meio ambiente chegou a um ponto irreversível.
Como gostaria de voltar atrás e fazer com que toda a humanidade compreendesse isto quando ainda podíamos fazer algo para salvar o nosso planeta terra!

quarta-feira, 21 de janeiro de 2009

S.O.S natureza


Caros internautas, por conta da urgência necessidade de preservar todas as nossas riquezas naturais que infelizmente o consumismo humano se faz presente, sinto- me por obrigação denunciar através deste blog todas as pervesidades que ocorrem em todo o espaço natural do planeta. São vastos ainda os recursos naturais que ainda restam no planeta, tais como: a Floresta Amazônica, o Pantanal Mato-Grossense, inúmeras Bacias Hidrográficas e outros. Mas o homem como o principal responsável pela destruição dessas riquezas Adicionar imagemsimplismente ignora como se fosse algo reversivel.Enquanto Ambientalistas e volutários se preocupam com toda essa agressão, os" homens do poder" são os que menos se preocupam com tal agressão, não priorizando acordos de preservação ambiental e coibindo qualquer manifestação de cunho ambiental. No entanto, a natureza perante toda essa agressão consumista dar seu castigo de uma forma não muito amistosa, na qual os seres humanos estão convivendo atualmente. Portanto cada indivíduo fazendo sua parte, isto é, denunciando, infomando-se e cobrando de nossas autoridades mais empenho nas atividades de educação ambiental que concerteza viveremos em harmonia e despreocupados com o que há de vir com o futuro do nosso planeta Terra. Finalizo dizendo que já estou vestindo a camisa da preservação ambiental do nosso planeta e espero com a criação deste blog incentive outras pessoas para cuidar com responsabilidade e compromisso dos bens mais cobiçados da Terra, que são nossas riquezas naturais .
credibilidade na edição : Francinato Lima